Under the brigde

At least I have her love, the city she loves me
Lonely as I am, together we cry

 

 

Amor é um sentimento indecifravel.
O amor a minha cidade natal tem certa similaridade com o amor que sinto pelo meus familiares.
Eu não escolhi a minha família, não escolhi minha mãe ou irmão, mas do jeito que eles foram me dados, eu não tive outra opção.
Foi aqui que a minha mãe passou os nove meses comigo na barriga e foi com esse ar poluído que enchi os meus pulmões pela primeira vez. Os prédios da Santa Cecília foram a minha primeira impressão de paisagem.
Dei os primeiros passos no carpete de casa, aprendi a andar de bicicleta no cimento do quintal e a nadar numa piscina com onda artificial do Parque São Jorge.
Ônibus e metrô foram meus companheiros rumo a liberdade de ir aonde eu quisesse. Essa chuva que reclamo tanto molhou todos os meus livros do colégio, meus cartões postais no aniversário de 450 anos e as minhas amigas, enquanto esperavamos o show.
Foi nesse caos louco, cheio de barbeiros, caminhos tortuosos e congestionamentos quilométricos que descobri uma das coisas que mais gosto na vida: dirigir.
Muitas coisas importantes aconteceram fora daqui, mas foi sempre pra cá que eu voltei, cada estação me lembra uma pessoa, cada rua, uma musica, os lugares, datas.
Eu sei, assim como sei dos defeitos do meu irmão, que essa cidade tem um milhão de motivos pra não atrair ninguém, mas assim como ninguém pode falar mal dele na minha presença, eu me incomodo em ouvir as críticas, quase sempre verdadeiras, sobre a minha cidade.
Eu simplesmente não tenho escolha. Ela é parte de mim. Eu sou eu porque vivi aqui.
É um amor incondicional, que vai ficar pra toda a minha vida. Mesmo que me irrite profundamente, mesmo que a zona leste continue longe, que o povo feio se acotovele na Sé, que o céu seja cinza e o Tietê não tenha peixes…
Mesmo que eu vá pra longe por vontade própria ou por vontade da vida, nenhum outro lugar no mundo será meu berço e tomará este lugar no meu coração.

Como diria a Natália, essa é só mais uma bossa falando de amor.

 

❤ Sampa.

~ por julferbas em outubro 19, 2009.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: